Terra Brasilis: Tabula hec regionis magni Brasilis, de Lopo Homem, Pedro Reinel e Jorge Reinel (1519)

Carta náutica do Oceano Atlântico e do Mar Mediterrâneo, de Gaspar Viegas (1534)
12/08/2016
21/04/1651: Carta para os officiaes da camara da villa da Victoria capitania do Espirito Santo
12/08/2016

Referência

HOMEM, Lopo; REINEL, Jorge. [Atlas náutico do Mundo, ou Atlas Miller]. 1519. 2 cartas, frente e verso: ms iluminado em pergaminho; 118 x 61 cm. Disponível em: . Acesso em: .

Créditos

Gallica. Biblioteca Nacional da França

Encontrou um erro?

spiritosancto-1519-lopo-homem-tabula-hec-regionis-magni-brasilis-1

Mapa completo

spiritosancto-1519-lopo-homem-tabula-hec-regionis-magni-brasilis-2

Região a mostrar o Espírito Santo

 
Compartilhe:

Terra Brasilis: Tabula hec regionis magni Brasilis, de Lopo Homem, Pedro Reinel e Jorge Reinel (1519)

O Atlas Miller também conhecido como Atlas Lopo Homem-Reineis é um atlas português de 1519 ricamente ilustrado, incluindo uma dezena de cartas náuticas. Trabalho conjunto dos cartógrafos Lopo Homem, Pedro Reinel e Jorge Reinel ilustrado pelo miniaturista António de Holanda.

As zonas geográficas representadas são o Oceano Norte, a do Norte, o Arquipélago dos Açores, Madagáscar, o Oceano , a Indonésia, o Mar da , as Molucas, o e o Mar Mediterrâneo. Foi adquirido em 1897 pela Biblioteca Nacional da ao bibliotecário Bénigne Emmanuel Clement Miller, o que deu origem ao nome Atlas de Miller. É mantido nas coleções do Departamento de mapas e planos da Biblioteca.

A página de rosto apresenta as armas de Catarina de Médici com a inscrição “Hec est universi orbis ad hanc usqz diem cogniti / tabula quam ego Lupus homo Cosmographus / in clarissima Ulisipone civitate Anno domini nostri / Millessimo quigentessimo decimo nono jussu / Emanuelis incliti lusitanie Regis collatis pluribs / aliis tam vetustorum qz recentiorum tabulis mag / na industria et dilligenti labore depinxi.” Teria sido uma oferta de D. Manuel I de para Francisco I da França.

Destaca-se pelos detalhes do Terra Brasilis menos de vinte anos após o desembarque de Pedro Álvares Cabral. A forma como mostra um mundo erroneamente fechado, onde não se vê o oceano Pacífico, tem sido interpretada como uma tentativa de dissuadir a circum-navegação que Fernão de Magalhães então preparava em Sevilha, na corte de Carlos I de .

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.