20/10/1864: Relatório do Presidente da Província do Espírito Santo, o Bacharel André Augusto de Pádua Fleury, na abertura da Assembléia Legislativa Provincial no dia 20 de outubro de 1863

01/01/1862: Relatório apresentado a Assembléia Legislativa Provincial do Espírito Santo no dia da abertura da sessão ordinária de 1862 pelo presidente, José Fernandes da Costa Pereira Junior.
09/12/2016
21/02/1864: Relatório apresentado a Assembléia Legislativa Provincial do Espírito Santo na abertura da sessão extraordinária do dia 21 de fevereiro deste ano pelo 1º Vice-Presidente, Dr. Eduardo Pindahyba de Mattos. / Precedido d’aquelle com que o Exm. Presidente da Província, Dr, André Augusto de Pádua Fleury, passou a Administração ao mesmo Exm.Vice Presidente. (1864)
09/12/2016

Referência

Relatório do Presidente da Província do Espírito Santo, o Bacharel André Augusto de Pádua Fleury, na abertura da Assembléia Legislativa Provincial no dia 20 de outubro de 1863. Victoria: Typ. Capitaniense de Pedro Antonio d'Azeredo, 1864. Disponível em: . Acesso em: .

Créditos

Arquivo Público do Estado do Espírito Santo

Encontrou um erro?

 
Compartilhe:

do da , o Bacharel André Augusto de Pádua Fleury, na abertura da no dia 20 de outubro de 1863


Download

Loader Loading…
EAD Logo Taking too long?
Reload Reload document
| Open Open in new tab

Download [1.35 MB]

 
 

Transcrição

Texto Completo
Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Arquivo Preblico do Estado do E sp flto S a n to - XDOD- Bit^llí^t^c^aDii^it^l- 1999 Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Arquivo Preblico do Estado do E sp flto S a n to - XDOD- Bit^llí^t^c^aDii^it^l- 1999 Arquivo Preblico do Estado do E sp flto S a n to - XDOD- Bil^lií^t^c^^Di^it^l - 1999 Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Arquivo Preblico do Estado do E sp flto S a n to - XDOD- Bit^llí^t^c^aDii^it^l- 1999 Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 SrS. WEMBBOSíIiA ASSEMRLÉA LEGISLATIVA PROVINCIAL. Em observancia ao arl.,;8.° do aeío addicionál, á consEilui(;ão--poüliea do império lenho a lionra de assistir a insíallaçào de vossos trabalhos e do relatar-vos o estado dos negorios públicos. Pouco, muito poueo acçrescentarei ao minucioso .^relatório, quo o meo antecessor devia ter pfferccido á vossa consideração,, :se não houvesse por conveniente o adiamento da presente sessão. : Nomeado por carta Imperial do 2-t deroaio assumi a administração desta província á 15 de junho e em.dão curtos dias impossível mc era culher informações exactas sobre todas as necessidades publicas e fazer um estudo serio sobre os meios de as prover, mas a vossa proficiência e patriotismo supprirâ0 as lacunas desta exposição. Antes do a encetar folgo deannoiiciar-vos que S. M. o Imperador o sua Augusta Familia não sotfrerõo a menor alteração em suas preciosas saudes ; o que para vós como para todos os brasileiros é sempre mnajiolicia grata e um penhor de felicidade publica. , Segurança e traxqoillidade-publica., So em todo o Império a tranquillidade publica nSo letn soffrido á menor quebra, graças á pratica sincera das instituições liberaos que nos outorgou a nossa constituição política, tal assmnpto pode se dizer que é demaziadamente esteril nesta provincia, onde ha muitos annos não se conbece perturbação alguma na ordem publica. Não concorro pouco paia esto resultado o respeito e a obediência á lei tanto da parle dos agentes da authoridade, como da de todos os indivíduos. Patz esscncialmcnte livre, onde não ha partidos dynasticos o profundamente enraizados cm interesos díamelralmente oppostos, onde as industrias progridem apesar das crises mondarias, que lhe trasem sérios embaraços, onde não ba aspiração legitima, que não possa medrar e deseavolver-se o Brasil, e por consequência quasi todas as suas províncias estarião nas melhores condicções possíveis, se não fossem suas actuaes circumstaneias econômicas. Exigências exageradas por parto do representante de uma nação amiga—feri- Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- B ib liotteaDigital- 1999 Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 . — A — rã o o brio nacional,, o eneíierã» dc verdadeira indignação a iodos os brasileiros- ainda porem nesses dias (Mireis — não se to vo de lamentar uma . só vez— o- desvio do^procedimenlo calmo mas dignado iodas as classes da sociedade. Nesta província como em todas suas ir.rmuis—apparocerão iMÚlhaníes.manifestações de enllmsiasmo edeadhesâoá causada nacionalidade,, e muitos funccionarios piir IsSiços forão lançar no cofre do estado uraa pario de seos modicos ordenados, para auxilio dos meios de sustentar a dignidade nacional. iíoje cabc-nve a satisfação de comtinuncar-vos que, não obstante- a. interrupção das relações diplomáticas entre o- nosso governo e o de S. M. liritannica. uma, das ípiMãesque sem irão de pretexto para o injusto e insolito- procedimento do, sou-«gente na corte dollío de Janeiro, a que diz respeito-aos oííiciaes da fragata in.gie/a, «Forte,» leve já solução pacifica e-- honrosa com a decÍs'o arbitrai do momircha, a cujo saber e prudente deliberação fdra confiada S- Si. o Hei dos. Belgas conclui» a nos sego Lutes: termos: a Somo > de parecer que na maneira porque as leis-brasileiras-fórão- applua- das aos ofliciaes inglezes não houve pmncd ilação de oiíensa nem. offensa pura coma marinha brilannica. »- Passemos à outro assumpto. Na eleição a que se procedeu om consequência, da dissolução dá.eamara d»s deputados a luta nesta província travou-se no terreno da lei,, sem ouç as parcialidades políticas se deslernbnssom dos baldios de- jnoder.ição e do-,espirito de ordem dc que tem dado Eantaís provas; e correo ro- gidare pacifica mente om todas as freguesias, tendo de notar se apenas duas duplL ca 1*3, uma nesta capital e onira em Ca ri a ei ca. X agib-ç. o dos ânimos promovida'principalmente pelo abuso dá liberdndoda imprensa que nos. últimos dias désceo as injurias c a eoimeios recíprocos, à cííev l.-sa que tove cada. cidndso de que ilie era garantido plCnamentc o livre exerei- cí-. do .iireito.da elogerssos representantes, e que delle e sójdeite- dependia u es- cíe.0 lia,ai)iiiH)ü,o pleito e produzi» na matriz desta cidade urn tumulto,:e logo depois a retirada do 1juiz de paz e a formação de outra meza. A’prudência e energia do digno magistrado, que então exercia as-ítincções: de chefe de policia,o Jír. João Paulo Monteiro. de Andrade e prineipalmenle á- i ;d: le pacifica e recouliecidamentc ordeira dos habitantes desta província deve- se o uão. ter app reeido facto algum que viesse manchar a eleição.como, infeliz- incute, em outras tem acontecido. Congratulo-nos pois romvoseu [>ola maneira digna o Iroim.sy, porque os vossos com província nos sabem exercer o seu piais sagrado direito Na e-donià de Aanta babei; à 25 de julho levantou-se um conllieto entre alguns aüomãos.tendo a sua frente Carlos AYielmr, 1/ supplenle do suhdelegudo e as soldados d» destacamento. KesuU.ni dblii ficar ferido com um tim e suceumbir alguns iníantes depois Gustavo IhiggensUb, econtuso c também ferido o soldado Francisco Grispim dq Racha. No dia seguinte pelas ÍF horas da manhã foi que obegout ao meo conhecimento este lamentável façlo, e bem assim a no lí cia-de que os allemães irritados.se a-itüiíiiavíio e parecia o ameaçar a Ira nq ui! I i d ad o publica. I m m mi ia lamente fiz so- gir.r para II! o Dr. chefe Je pslicia com 25 praça* ao mando do capitão Ti to LIyío Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- B ib liotteaDigital- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 _ k — ,;da Sit a, pnraobstar á qualquer ousada tentativa o indagar minuciosa mente das ãrcumstaiicias do lã o desagradável acontecimento; então vira a sabor que fora el lede vido ao.estado do embriaguez habitual,cm que viveaquelle Carlos Wicher,jque exagerando uma desavença com o cadete Luiz Vieira Machado, Dceommeltera o ( estacamenlu. Da formação da culpa á que se csiá procedendo pela delegacia d'.esta capital constará quaea os verdadeiros delinquentes. SkGUWANÇA WBIVIMJAI, E DE PUOeitlliBABE. Este ramo; da administração publica’tbnv semprerocehido por pane do go> ôrao) a maior solicitude e desenvolvimento. Condicção essencial da existência do outros serviços—eIJe deve ser considerado acima dos melhoramentos mate- rsaes eaté mesmo>da educaeSo ütteraria e industrial. Pelo seo maior ou menor desenvolvimento pode-se conhecer o grã-o de civitisação, á que tem attingido uma sociedade. IníelUmentc,. poeem, a estatística criminal ainda está bern longe da perfeição, a que deve chegar para determinar com certesa o numero dos crimes com netLidos no paiz e demonstrar o desenvolvimento moral do povo c a 'dominação da justiça.. A f; Ita de pessoal habilitado para o exercício dbsargos de delegados e‘subdeie gados de policia,e de uma força stifficientc que possa garantir sua acção no deseo* brimeuío do crlnve e na perseguição dos criminosos,a repugnância quo mostrã0 os cida lã os ainda mais bem. intencionados de deporem em causas crimes, diflicul - bmdo por este modo a marcha da formação da1 culpa; a benevolência e compaixão quando não o pi trona to de juizes leigos; que muitas vezes não comprehendem sob deveres de seo cargo; c finalmente, a falta de achareis formados,'que queira o servir nos togares de promolorcs públicos, sendo esles quasi sempre homens relacionados e seim m verdadeira independência para desempenharem. a espinhosa tarefa de dar impulso á acção da justiça, silo causas da fraqueza da policia em regislr-ar.—com certe/.a — os crimes, que se oeeuitão ora nos Jogares ermos-e nas trevas,.ora uo.intimo dás fãinilias. Assim pois a esUitistica criminsH não é mais do que um calculo aproximado, sobro o qual não se podo formar j ui z«: seguro. Ebi offorcce o seguinte quadro dos crimes comniellidos nesta província. 185V 38 1.855 . 29 1856 ■ as' 1851 58 1858 ‘ POO" 1859: 49' 1860* 66 1861' S9 1«62: ■ 26' ■ 1863'até 31'de «gosto HA Pfí* to quadro EgmrSo os homicídios e as tcntati''as- de liomicidiir na seguinte proporção.1. Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- B ib liotteaDigital- ll^í^l? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 — 6 homicídios tentativas do homicídios- 1851 5 1855 7 . 2 Í850 k 3 1857 5 2 3858 2 3 1859 7 ■ t 18(J0 8 "2 3 861 3 2 1862 9 â 1863 1 Não pode passar senireparo um a'circums( ancia, e é que dos nove aniios decorridos desde185Í ató 1862 cs té ultimoé o que oJTeroce menor numero dc crimes (26.), e maior numero de homicídios (9), que estão para aqucíles na.razão do 1. 3; oo mesmo tempo que o anuo de 1858, registrando 100 crimes, conta somente ,2 homicídios, que estilo na rasão de 1:50. liando os.devidos descontos pelas causas já mencionadas ,da incertesa da estatística criminal-rtaldesproporção podo explicar-se pela m.ais activa perseguição o mais prompla acçíio tia juatiça na descoberta e punição dos attenlados graves, dos que enchem dc alarma á uma população inteira. Desde janeiro do mino passado ató .5 do corrente mez consta das participações ofííciaes da .policia que so commeiíe rão «esta província oitenta e um crimes especificados do modo seguinte; : .Homicídio ' J{j Tentativas de homicídios 2 ílouhos o Ferimentos graves 9 « leves ui Offensas phystcas ' 7 Furtos . 2 Infraccçôcs de posturas . 34 liso de armas prohibidas -1 Uso de titulo indevido 1 Injuria 1 Ameaças ■ ■ 1 Desobediência . 1 8| Comparando os crimes comrnoltidos 0 anno passado (26) com os que perte aos meies decorridos deste^anno.(55), teremos 0 quadro seguinte: nemn 1S62. ' Homicídios 9 í Tentativas de homicídio 2 Ferimentos graves 5 . 4 Ferimentos leves 6 Otíensasphysicas 1 . 6 Boubos 2 â Pnrtos Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- B ib liotteaDigital- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 " _ 7 — . . Infracções do posturas, 34 íjso de armas prohibtdas ^ * « titulo indevido i ' Injuria 1 Ameaças * 'Desobediência ~36~ 35 i Se no período, que coiuprehemieos mezes dejauoiro até agosto, conta o-se 55 crimes devo-se observar que neste numero ba apenas 1 homioidio e 4 ferimentos graves—entre 34. infraceões de posturas. Já não avullão como o anuo passadojos attentados commettidos contra a segurança pessoal do cidadão. Esta urcumsíart- eia não pode ser explicada senão por um melhoramento no desenvolvimento nie..- :ral e religioso da população e não porque crimes de tal natureza tonhão escapado ao conhecímfliio da autoridade; pelo contrario, elles são mais exactnmente consignados nas ròlaçíies offieiaos, entretanto que os outros, ou porque produsão monos alarma, ou porque não estejão cm grande parte sugeitos á acção officiai da justiça facilmente se'esquecem—quando não passãu desapperccbidos. Alem dis- ' so, o augmenlo extraordinário das infraceões de posturas (3/i) denota maior acíi- vídado e diligencia por parte da piílicia. Entre os crimes importantes deve-se mencionar o qne foi conrmettido na co_ lonia de Santa Leopoldina no dia 25 de julho. Constando ao respectivo suôde_ legado quoo colono Carlos Busch Unha sido sepultado oecuilamento no sen pro- prio praso, e levanlmulo-sesuípeitas contra outro colono do nome João Schaeím* pelas contradicçõe.s cm que cabira up explicar como natural o fallc-eimento do Busch, procodoo-se a acto dc exlunnação, e feitas as devidas averiguações e di- .ligeneias,. descobriu o ..stibileicgado que qnatro colonos João Schaefor, Frederico Heier, Mana Lorber, e ire dc rica AJoier ba vião assassinado ao infeliz B useis, ’ por isso insta tirando-lhes o devido processo, fe-los recolher-a cadeia desta capitai — corno indiciados atilores do crime, « Factos nueavjíis. . No mez.deMarço do anno findo, entre os districlosiio Uapemirrm, Jbirra deit.a- , bapoana, e Caxociro appareeeo uo logar chamado—Frecliciras—uma borda do iu- 1 dtos selvagens, que, accommellen-dõ, á seis 'indivíduos, (pie por aüi andavão á caça, ferio a um, matou á outro, e, íinalmente, refugiou-se nas matas. A 12 do Junho do mesmo atmo nesta capital ná casado negocio de Antonio de Almeida Coelho—-ateiou-se um incêndio, qne prodtizio a morte do caxeiro da casa e do uma escrava e o ferimento de duas outras pessoas. A faisca de uma bomba lançada pejo mesmo caxeiró cabira em um resto dc polvora solta, que, inflatnmando-so, incendiou rapidamente mitras maiorias in. llaímuaveis, allí existentes. ' 1 Na noite de 2 de Judio farão disparados dous tiros c quebrada uma das janellas du casa em que resido o vigário da freguezia do Queimado. Até-hoje não so ■tem podido descobrir o autor ou autores-desses -factos, ' Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^;? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 — 8 — A 0 do mez passado, prorodemlo-se a eleição de eleitores na igreja matriz desta ciiiítdo, levantou-se grande tumulto e alarido —por oeeasião do reconhecimento da identidade de um volante. Na confuxão, que se guio, a urna foi arrebatada elevada para o palco exterior; o licarao molestadas algumas pessoas e com um pequeno ferimento em tuna orelha o cidadão A nionio Francisco de Alhaide. '1 n l i proceder a indagações poíieíacs e roca!iindo suspeitas de que fosse autor do arre ha lamento da urna uni indivíduo de nome Josò Joaquim Correia, eonho- oito por José Murjuicaba. organisou-se processo regular, que ainda pende do juízo municipal, ■ AüjiirAínTUAÇÃO UA. ,k'STSÇA. . Os defeitos, que acompanhSo a, administração da justiça cm nosso paiz, lor— iísi;i-sc mais sensíveis nesta província, para onde a mesquinhez dos ordenados, a IViUa de recurso 3 e o- pouco eu nenhum auxilio da f»rça publica - não convida o aos magistrados, que sendo no meados, eu na o a ceei lã o ou servem- por pouco' tempo nos seos legares-- dnhi as interiuidades e, o exercido das mais importantes fua- coõos por cidadãos, ainda que bem intencionados,, sem as preeizns habilitações para preeudiè-his. For outro lado a mà organisaçao do jury, cuja reforma iV uma das necessidades mais pal pi tantas e reconhecidas por to dos ; a falia de nm sn i n i sle ri o pu h tico r.ép res o n t a do e m to da saí i oca! i d ad es; o uma p 2 ri g coa be n c v 0 - lenola que quase sempre degenera em patronato escandaloso são outros tantos> motivos da Íraquoísa da acção da justiça- Poucas niSeríKõeò ícmapparccido no pessoal da magistratura desde 25 de maio- data do uiiimo rclatorio. A-província conta h comarcas 0 0 termos judiciários. Em nenhuma deltas m psmmoUiria ó exercida.por bacharéis formados. Ha comarca de 3. Malucoscontinua nas funcçôes de seo cargo 0 digno juiz de- direito i)i\ 'Oaniel Aüdoü do Asovedo, nomeado a 8 do outubro do anno pausado. . í\a dos Reis Magos esteve interinamente com a respectiva vara 0 juiz muniei- 1 Ti to da Si! va Machado atò 2li de julho, dia - cm que, tendo sidodispensadí*- do cargo-de chefe dc polícia, entrou em exercício 0 juiz de direito ArHouio Gomes Viliaea. Na da capital funeeionou como juiz de direito e juiz municipal dodemm da Serra Bacharel João Nepomuecno . Rasar ra Cavalcante |até 16 dc junho, em que entrou em exercido de soo cargo 0 Rtv Jeào íTiiln Monteiro de Andrade, 0 qual Tendo sido.designado para exercer inlermamenie as fim ecoes de ehofe de policia, teve de (ioixa-lo á 22 dejulho e de reassumio lo á lí) do. corrente. Tamlosc ausentado para a Europa sem licença 0 juiz de direito Joiiqulm-Bandeira deGouvèa, 0 govenioimpend per decreto de 2 de junho declarou-o avulso e vaga a comarca de Itnpcrninm, que depois foi,designada ao juiz de direito, Uidgero Gocvalves da Silva Este magistrado.obteve á 3 do agosto prorogação por rnais 30 dias do provo, que lhe fora concedido, pura apresentar-se;.. 0 a U do corrente tumou posse e entrou, cm. exercício, ’ Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^r? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Durante lodo esse tempo as respectivas funeçõcs forão exercidas pelo jui? mamei paí do lermo bacharel Gesario José Chavanles. Nos lermos de S. Matheus o barra de S. Malhem continua a servir o juiz municipal bacharel João dos Santos Neves.. No de Santa Cruz o bacharel Tito da Silva Machado, que tendo concluído o quadríennio a 5 deste mez, deixou a jurisdicção ao 2/ substituto do juiz municipal*. NodeGuarapary o B ene vento o bacharel Joaquim José do Almeida Pires, que, tendo sido nomeado pordeeroto de 13 de março, prestou juramento á 0 de julho e á Í1 entrou no exorcicio do cargo. No lermo da Serra serve o 2;° substituto do juiz municipal, por estar impedido o l.° e licenciado o bacharel JoSo Nepomuseno Bezerra Cavalcante. A lt de agosto foi nomeado promotor publico da,comarca de Itapemirim o bacharel Joaquim Manoel do Araújo. a 22 de maio foi removido da chefatnra do policia da província de Minas Ge- raes para a desta o juiz de direito Dr, Eduardo Pindahyba de Mattos, que a 10. do corrente prestou juramento e entrou,cm exereieio. Gomo vêdes todas a* comarcas estão acluaimente providas do-juizes Je direito. No semestre ultimo forão julgados no jdry e privativamenie nos juízos de direito 17 processos coutra 18 réos, que commeUerão-17. crimes, distribuídos do seguinte niodor Particulares TA De responsabilidade tt Neste numero inclue-se um julgado no penúltimo semestre. Durante todo osle tempo, segundo as informações da secretaria de policia, nBo- foi julgado um so dos crimes, de que trata o decreto n. 582 de 2 do julho de 1850, e não consta que o fossem iníraoções de posturas, que tem julgamento definitivo polas autoridades poiiciaes. 0 jury fímccionou em todos os termos desde-janeirodo presente anno,.apresentando cinco sessões. Beuuirão-so mais tres na: comarca do Itapemirim.,. mas sem que tivesse legar, julgamento algum por falta de processos preparados. N-os outros termos as sessões havidas forão as seguintes Na capital 2 Em Santa Gruz - Ü Em S. Matheus í: Na barra de S. MaUicus T A' ellas forão submettidos 1 processos instaurados pelos seguintes crimes:: Homieidios 8 Tentativas de homieidios t Koubo . " 1 Estetlionato 1 Eerimentos e òffensas physíoas: 5 Perjúrio I 1 * Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Os róos julgados forão 15, sendo: Brasileiros A 4 Estrangeiros Homens Mulheres ' , Menores de 2.1 annos l)e 21 a 40 ■; ííe 40 para cima ■: Solteiros Casados Vi.ii vos . . A.’ respei to fio modo, porque foi julga do cada um desses réos, vè-se q"ae responderão aojury; - . . : ■ Presos ' ' ' ' .. 13 . . Afiançados ' 2 Dort.és.15 criminosos-er'-.o autores de crimes consummados 13 e de simples, tentativa^: ' .. ■ ' ' ' ■■■■■■■ - - - Analphabctos 15 Sabendo íef . 2 . Dos referidos processos 12 tiverão accusação paia promotoria .publica,e 2 por proeuradiires dos queixosos. - ■ 'Somente quatro forão cendemnados, sendo 1 a g;>íès perpetuas, e 3 a prisão simples e absolvidos .11, ' ' . Nestes julgamentos houve duas appetlacões por parte do Juiz.c um protesto por novo julgamento apresentado pelo celebre róp Damião, autor dc homicídio com " as ci reu susta n cias as mais aggravanles e execráveis. ' ,E’ de cstranliar que dos 15 criminosos, sendo' 5 de homicídio e 1 de tentativa de homicídio, fossem condemnados % somente. ' ' : Tamanha difforeiiça'entre ojuizo formador da culpa e do julgamento não pode ser explicada simplesmente pelo excessivo rigor do primeiro, ■ mus também pela demasiada, tolerância do segundo . processos de responsabilidade.—Na comarca de Itapemirim forão julgados tre/, indivíduos, sendo um por, fuga do preso no semestre/transado, e dous por 1 prevaricação.' ' : : - I Os reos erão empregados de jusiiça; um sabia, ler, e os outros tinhão mais ins- tnicçííO; 1 foi condemnado e 2 absolvidos, ■ 1 ■ ■ Quando tomei posso da administração .desta província exercia interinamen- le as funeções de chefe dc policia o juiz de direito da comarca dos íleis Magos, i)r, An ton io Gomes Villuça, D esde' 22 .dc j úl Im,' por de sigiiação minha,-. ocen póu aquelle cargo o juiz de direito da comarca desta capital Ür, João Bimio Monteiro de Andrade, a té que á 10 do corrente foi ímpos-sadoo Dr. Eduardo Pindahjdia de Mattos, removido para est-a cliófalúra por decreto de 22 de maio. : [Hv is ao civ tf.— Por a cio. do 30 de ju nho t:es taurej o d istriç to da su bd el cga cia de Viamia, que havia sido dividido em 1!) e 2° districtos. Esto era.;-comp.osto do : dous quarteirões apenas, e baldo não só de população sufíiden te como de pessoal idoneoi não podia constituir urna 'subdelegneiá ã parte. A esta razão accrcsce que 1 1 3 e .2- Z? Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Í i ambos os ,(5ovos Ütóíriílüs—iestavSo eomprehendidos em um unioo districto da paz, que não éo mais extenso nem o mais .populoso da província. ■Dor aclo de li de fevereiro do.anuo jp assa de smeoen teces ser ereou em Santa izahol dib districto de subde!egacia,,ema.mesma ocçasjão nomeou parasubdclegado ao Dr. Ernesto Monde de Andrade m Oliveira, medico da eolonia. A A de julho foi nomeado paraii. &uppjeide o ,a}leraãe Carlos Wicker. A lô de dezembro Shavendopedido e obtido sua exoneraçâood>r. 'Mentio de Andrade, e tondo re- í conhecitla que não lha via no logar quem o -substituísse, foi nomeado para sub- -deleg3do o alferes Francisco Fioreiicio -Pinheira Passo*, do corpo de guarniçSo desta província, que ia,alli destacar com algumas praças. Por falia de pessoal id<>nco, o porque o estabelecimento é quasi todo povoado i)e estrangeiros, forno estas as únicas auioridadespulioiaes do districto até 25 de julho do corrente anus^ data em que tevejogar o fuuesto conflicto entre aquelleOarlos Wiekor e algumas praças do mesmo destacamento. Em virtude dos exames, á que procedao o Ifr,, chefe de policia, convencido de que tal districtou&opodia continuar, proposs-no© m sua extineçâq, que foi resolvida por acto de 3 de agosto findo, ©ias,depois«recebi um ofiicjo do pí.rior evangélico Henrique Egger, instando, pela mesma medida, ;por aiâe ba ver na color, w /■pessoa'habilitada no coniteotmento,.necess&rio da lingua porto gneza e .das leis-do .processo criminal.; concluindo,: lembrara a ono exação |Sa colou iü ;ao .districto de Wianna —como atilesdc sua creação, , Ila na provinoiab delegacias ,.e 27 suhdelegaeias. Do mez de janeiro até o ultimo de «gosto forão de imitidas 24 autoridades policia es, sendo o á pedido,, o Í.9 por proposta do Dr. chefe dc policia. : ' ' Pttisõ,ps Pübuc^s. . ■Aqiá eçmo em todas as províncias é deplorável o estado das prisões poblícas, nassime atlendcndo-se ao preceito da constituição do iiúpõrio. Não ha-uma sé ddeia que seja segura, limpa e arejada. e que tenha di versas casas para se para - dos réos, conforme suás ci-rçumstancias e naluresa dos crimes. A penúria dos ;ofres provinciaes mais sen si vo! boje—pelas mpitas necessidades reconhecida se readas e um-tai qual desatteàçio para este pssumpto,alias do inatailiva impor- ancia, expljcüo satisfatoriamente o má o estado das prisões publicas ©‘abi'inmj- leros males. A falta de separação dos réos}oo,nforme suas cireu instâncias e nsíu- ísa dos crimes—causa as Weites .um má! muito maior do que o da pena, o in- ángido pela lei; outras proporciona lições de perversidade e de pratica-do crime is infelizes à quem uma leve culpa—levou à cadeia, onde a convivência com o ■alvado os íorna peiòres. . . ■ A cadeia da capita!; que é no mesmo edilicjo, em que funceionâo-a c-amara unicipal, o jury c a assémblèa provincial, -consta de duas hnmidas enxoviasao z da calçada e de três xadrezes íte sobrado Não é segura nera bem arejada;ei não istsnte, desde 1.* de Janeiro até o ultimo âo mói dé agosto findo i lA iiídividuos "So nella recolhidos pelos crimes de homicídio, ferimentos, furto, desnbeiHéii- ■; c tnfracções de posturas, que fizçrao avultar o numero, " Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 - u ■. . Segisúdp infórmoti-mea Br v. chefe? [email protected] poticiã em sea rétatório aú nexo a este— aiir> indispensáveis alguns pequenos reparos teodeniesjít a segurança, já a tina-- pí-sy da cadeiaj .visto' a falta do: aoeiu que se nota:■:: ; :; !: ■ ' A. íatlóiá de S. Msihsus—(jus como as désia eupUaie Guarapary é a menos ruim da província, não offm-oc segurança afguma, apez a r dos Concertos ,a que ultima ■ mente 30 procedeo.. Assitinjun os criminosos ou indiciados em crimes graves são * rômottldós Ioga—para serem ^detidos na pais o Jaca pilai. Compoem-sede uma 3 húmida enxoviá e de um xadrez.- .A de Guárapary—seud& muHò pequena—9 uni pouco dista 11 te de;Béheventc, »ervè apeii»s para o mpeeliVo município: Composta de duas enxovias e tia dou»* xadrèíes oirã offdro^osegurança; mas liSo o benijarejada.-■ • Navtiííf ;dâ‘ b irra do S. Mdtheus;serve de prisão nsmeasa particular, em pessi- - irias eõnd Seções hygic nicas, se nvcom modos nem segurança algumaCompõe-se-* de dous quartas—feeh^ea eom grades depáo-. Em Sáuta Cru* uso fe para prisão senão um xadrez ímmutrdõ, sem segurança , coberto de palha. Graças, porem, aos esforços dmdigno juiz de direito da cornar- ca, i)r. Antdftib'Gôums Vilfaça, promoveu-se uma sííbscrtpçno,tjuc segundo oUe" iníitfift8: jí aitiugvoi sotaina de 6:000 $OíH)ré i s—d es ti n a da* á constiucçáode um * edificío com accommodáçoes necessárias para ' ,is*sessões dít cãfnara muni c i pa 1,:.* db jury e para prisão publica.’ A^obra, cuja primeira pedra tal lançada pf*io * m e« a n leeessor o E vm.. Sr. 1) r. José Fe niaiutas daCostaPeieira* J a ivior; esta' ad i -:* ■ «atada sehdd dirigida por uma com missão com posta-dotaresmoBr: jtm de-direita - 0 do Dr. Tão dà Stlva M*fCliafio. . ^ * ':'*;* 0 «dilicío -que) serve de prisão cm Liutatres é ioutít — per-arruinado e0mp!ete- * mente, e está a desabar*. ■ A * cadeia rta acanhado—com.grades de“ pão.- Evames utH iogaacdcítdetiençãojemporariav. ' E’^ deplorável ü.eslado dã prisão-publica dei lJ&neveniff. Cüllócada ,00 aotiqtm- ■ simo .e arruiaado ediíicio, qne;semi>.dtíi convento aosjesuitas, eila não só não é »egur«— 00mo*stéi nãoípode servir pelo immineníe desabamento, que poem em , pertgo-as vidns dos prâzos; O-juiz municipal bacharel Joaouim Joséde Almeida ; Pires, commuuicoiHmo que* tinha agenciado uma subscripção’ para *0 fim de abrir-se uma cadeia n o* e d ific io, em q 11& sereno» a * c a m ara mtinicipaj, e que jú havia obtido a somou* de 400,^.000* réis, importância da, obra: B& um orçamento feito de,ordem.de ,meo antaeessorpelo engenheiro Cesar KãluviUe., mas este opinou pelo aproveitamento do veiho,«onventos- onde agora é • a prisão, orçando* a. despesa çnníití50fi$QGÍk Se 0 pormittissem oseofpesda pro- vinciáesíe segundo aivitre—r-devora ser o preferido.pois sem duvida ogramte * defeito e a-imp.vocedêmáá daa óhras consiste priaicipalmentemin sua imperfeição, «acrsficando-sé à economia de dinheiro a segurança**é a pm^isteneia da obra. A cadeia dè Uapemmm, ainda que^segura, precisa de concertos. E’ demasiada»; menta humída,* e, - todavia, está em melhores coa dicções do queasde ciutroa eicipies. . . * ' Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XI^C^D- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^I? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 — 13 ~ Por 03ia eipostçSo, que não é mais íio que» triste repetição do que vos tem dito òs meos antecessores, comprehende-sc a necessidade da adopçío detima idea jà aventada mais de uma vez--» de eonstracoSo de cadeias nqs cabeças de comarca. Se imitando ao fir. Vi II aí a-*— to dos ósj u izes qali ze rera a ux ili ar este ra m o do publico serviço, que tso ■ dè perto toca ã adminiítraçaò da justiça, çerto pode- reines consegu r aqueile desideratum. Assim eo â v ergindo as forças para aco as - trucção de quatro cadeias nas condieçôss exigidas ter-se-ba obtidome excellente> resultado. ■ ■■■''■' : ■ ■ ■ '■■■■'"' ' '■ 'r ■■' ' ' ■ ■ ' : ■ ' . . ' Força pontueis. -v. '■ -'V-- ■ Gotnpdo-se dr guarda nacional, do corpo de guarniçSd, eda força f>olici*t. GcAaDAHACIOBÀt. Ha aa província trez. commandos superiores cre« dos - e ergaiusados pelos d e- efítos nD* 924 de S de março, 1063 e t064dé 1,3 de novembrò de 1852 ; o do N. com pretendendo osmume i pi osd e S, Ma th e us, bar ra, Li u h a res, Santa Cruz e Nova Almeida e composto de 2 bataWides de infantaria-‘-sendo ifin de í e entro, de 6 companhias do serviço activo f O do centítí coiuprehêndendo os municípios do Espirito Santo, Vicio ria,. Viasna - e Serra -composto'de uma companhia de artilharia, 2 .batalhões de infantaria de deòmparilnas cada am, el-èecçíio de batalhão dc- 3 companhias' dé-serviço activo; eo do Su! comprohemlondo os- ímmieiptos de Üapçmirim, -Íteneventé,e Guaraparyicompasto doumesqvtadrSo de «avaliaria, -em Uapemkim, 2 balailiocs -sendo om, — ot0emKit p em irí m com, 4 companhias,.e outro. —o 2*— em~Bonevento eGíia-rapary com 6 todos do serviço acti-vo ; e J companhia da reserva-. Segundo as ultimas infonnaçdes estão qualificados 5634 guardas- naemiaev ge®d» no . . . . ■ . ■ ■ ■■■ ■■■ . . tmi . . - .. Géntro 2137 '” . ; SbK ■ ' ; ' $d»6 ' ■ . , ... . : ' - . ' Estes. guardas, com pretendidos os ofiiciaes do esta cio major, são distribuidor péío mod« seguinte : Quanto só sórvt-ço-' . " . ' ■ Activei ' ÁÍ'23"' . Dà-reserrã í2t! . . . ~5G3A- , 0uaíito á arma Cavalíaría 173 i Artilharia 73 Infantaria 4149 : ■ . Estado maior ' '' ■ . . üis-; Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- B ib liotteaDigital- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 — Í4 - N»t> ostio armados regularmente nemteminstnicçâo alguma, O co® mando suporior do centro conta 737 espiugardas: com bayonetas e correame mais ou menos correspondente. Sobre o do Sul nâo pude obter informação. O .do Noite está qoasi se® armamento. Dm.mappa junto wny o;estadi> da força da guarda nacional nesta província. No pessoal dos commondos *uperiores e dos corpos da mesma guard%#ccprreo; o seguinte; ;.. . ■. ■ . '. . . ' . / ■ Pallecee o commandante superior dos municípios de S. Matheus. tiarra, í.i- abares, Santa Crpz e Nova Almeidái „ o coronel Ántonio Rodrigues d# Cunha) e esíe posto ainda se conserva vago* Por decreto de d7 de julho foi nomeado o capilão ^nionia JtOsé Ferreira de Arayjo para o posto de nrçjíi; ajudítelc de .qrdens«dq ..eommapdn^upçriçr do Espírito Santo, Victoria, Vianna e Serra. -Corpo «e guarnição. ;íO corpo do puarn içSod e s tap ro vi n cia ,o. rga n i sa d o peto decreto rr -â.6.62 do fido outubro de ISfiO, eompAe-sc, do um estado maior e menor e de duas companhias. ,{) seu pessoal completo é de 17.3 praças,sendo 12 ofíiciaes e 161 praças de pret, .0 seu estado effectivG, como vereis do map.pa junto é dcA 4.4. praças, faltando 29 para o cerpo pear completo.;: estas são 1 seercHrjo, .3 praças de pret do estado menor e 25 das companhias. Actualmeatc existem na provincia somentejiST praças incluindo se nesse numero os 11 ofticiaes doestado efféclko. Dednsimlo-sopois estes.1,1 offieiaes e -mais 17 praças do pret, que por impedidas, não podem prestar serviço, .segundo vé-se do niappa nmncionade/íicão disponíveis semente 109 praças de preL. Bestas 21 e m p re gfio - s ed i ar i a m e ale .em diferentes s e rvi ç o s; AS. sa od n d) spen sabeis para o serviço d» praça e d a guarda d o sa dre z do qo ar te 1, S ca n do a p e na s AO, que è -a força, com qpo rcslricta®ente pode-se contar. Desde 1° de julho de 1862 ale boje houve as-segointes alteraçfies. Tiverão pràça 11 indivíduos ,,Obti verão baixa do serviço 16 soldados Jteserlarao 11. fallecerão 'p p ruços de pret. jlf,ORÇA POLICIAL. A dei n. 12 do anno passado mandou vigorar para o corrente anno a !ei n. 1 ,de 1861 que lixou a força policial da província. 1 0 .seu estado completo consta de 1 commandante, 1 sargento, \ Airriel, 2ca- ,bos,l cornetajC 35 soldados. , . 0 seu estado ^ffcetivo consta-de 26 pçaças,como se pode ver do seguinte quadro; ' ' . : . Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 — ÍS o O 33 Existentes na ffomptds De ordem ao Dr. chefe de policia Ao delegado ir> . es I 2 i g. I o r cs ) . t» o J SrS? §Lj,ST o “ a> Do serviço no quartel SoJiMA ----| 41 8 i li ■■1 -1 :r\ & k Lt? estacados em ltapeniirim 1 A Em 8. Malte us . Em delígacia na colonia dc S.teopotdina ! Em Santa Crjuz | SOMKA 1 | i e i 4 18"! 1 7 i 9 -Estado eíFective ■|, 4 | -1111-2121 [. 28 . A 8 de agosto foi nomeado com mandante tia companhia o cidadão-Deiacarlí- ensé Dourmond de Alencar'Araripe em substituirão de Bernardino de Souza Ma~ Igalhãés- a qiierp deniltti naqtEclia mtístna data, ^ A 41 do corrente foi demiUido e mesmo Araripe ficando desde então encarregado ínteri na mente do com mando- ó a! feres tio corpo de guarnição Francisco 1 Fiorencio Pinheiro Passos. ' ' " Este couimunicou-me qae encontrou o armamento e o eorreanae em péssimo estado ; e praças sem farda para fazerem o serviço. E’ pois evidente que esta força longe está de preencher o fimt para que foi creada» : ' "" ■ ■ ■ XlJLTO PUBLICO. O culto puhtico, que tanto concorre para o fortalecimento do sentimento reli^ gioso pela pompa e magestadc das çeremomas e ritos sagrados -não tem atlin- ; gido ao grao d e d e s 0 nvoI vim e n toquefôra para desejar. 4D *indífferentissimo da opocha çontraslalristem ente com o fervor ecdiíicação*dos tempos, em que o pobre monge só mas cheio de.-fè, sem auxílio nem defesa,.penetrava no meio das hordas selvagens dos i n di ge n as, co n v e r L i a-os e no píncaro das serras, nos'tlugares ós mais inaccessiveis e intraetaveis levantava-templos, que ainda-isoje depois da trez séculos altestão tanto amor e devoção. r ' Nada vos direi sobre as cauzas deste mal. Elias são gera es e -conhecidas de todos, Quando a crença íaliece qti&jí imj:roneu«s são os esforços dos príncipes da igreja, todavia não posso deixar de anndnciar-vos a perda do Bispo desta Beo- çose o Ex.m“ Sr. D. Manoel do Monte fipdrigues de Araújo, que a 10 de junho ultimo rendeo a alma aò Creadcr. Dentro dos 3 dias, conforme o concilio tri- dentino,reunio-sc o cabido e elegeo vigário capitular e economo aos Conegos Fe* Üx Maria de Freitas o áibarquerque, é Antonio José de Mello, " ' ' 4 - : ■■■' *'< ■■■■■■■■ - k r Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- 1999 — 16 — Existem.» na província 19 parochias, das quaes 2 ainda: não está» providas ; estas sao âs de lta.un.as e imperial Affonsino, As matrizes e capeilás não offéreeem o aceio e decencia que exige o explenddr do culto. Talvez que parai isso tenha-concorrido-a exiguklado -dasrendas província es r sendo modicoa, insutficientes e sem utilidade os auxilios—que todos1 os aimos; \ot tos para este serviço. , . , v . ■ fídlro outras matrizes que redàrnso- vossa- atttoiçãé:merece particsdár menção a ' de vteiaciea, que lendo sido- começada om 18A9, ainda-hoje tém apenas a ca- peite. mór.; 1 . ü viocaí-escolhido para cmvslnmçüõ-dã igreja' é péssimo por compreliender nato grande formigueiro o náo olf&recer — consistência stofieiotoe.. Meu - antecessor,- a 11 - de fevereiro ma lidou .entregar á commissSo encarrogadS' das obras a quantia: de 1:090^000 rs. por conta dos dous, que consignastes na- lei do orçamento; ..mas aifldãbnão.foi, cumprida aordem pelo estado de penúria, em que se-ac-hão os eofrtô provÍMiies.:, k capte ia, que na vjlía. de linhar" os serve de matriz—exige que quanto atile* se. 1 ire íação alguns concertos, togados pelo respectivo vigário em -VOÜg rs.  unairiz-da vilia da Serra-està com o -telhado 4odo arruinado equasi a desabar -■ —por íer as thesouras podres, alem de Erezjà quebradas.-. F.cz-so orçam cê to para esta obra, que deve importar, cm í;500$ÜÔO.Todo o resto do templo està em bom estedo; A : coiíhulssSo --ct-mpOsUi do, vigário José Ferreira Lopes Wtoiztelér e 1 do oi- dtola»-João Vieim Màehudo coramunicou-mc que com o reíelhamento da matriz nairagutizia do Queimado duspemkio -lTOgiaftTs., eque estava empregando eus ■■ ouiios reparos assobras da quanliade 2ã0$000 rs.,que havia sido destinadaáquei - i.f : obra,,: . n áirtta mesma matriz, a de Vid-nrui-e « -dü■-LsppútoSanío-ceda mão auxilio, que. no - estedo actual não ouso propor^vos. A construcção da.nova matriz da Cidade de São Mathcus está adiantada,faUan-. - d o somente o a-isoullia m c n to eo iV-r ram e n lo da ca pfil la m ór ,■ pa ra' 0 q u ejà ha ma* - (!e-r,s -prompíasv Meu antecessor maiiíloíi dar a commissão encarregada da :- dbte a quantia de toOOOg rs.,—á titulo de empréstimo sohre as 12'apoliees compradas com o produdo da suhscnpçâo destinada a fundação de um hospital na- queila Cidade. - Segundo o aviso do Sr, ministro dds negocies da fazenda déve correr este an- - no a loteria concedíd« pola lei n. 1029de 2-3 de agosto de i8»9 em beneficio dos- - ta igreja. Com o producio deite podem as obras continuar, nms ainda assim ; será-mi dor «ovo sacdíido da província. ' ■ Gbmitkíuos, ■ N a o ó ma is j i so n ge i ro; o csía to d os cem i ter ios (ia pro v i n d a. E m N ó va Atui e j da so acha apenas compÇ:fdo:-jy esumdo preinpío lode o.alicerce,mas foi interrompida a eonstrueção por Salta -ie atui Ho dos coíres pro vi n d r cs. segunde.: Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 ■ _ 17 - ... informou o respectivo vigário, que ao■ mesmo tempo é’ membro da commissíio encarregada desta obra. Esse cidadão tem assento n’esta assembíéa, se poderá convencer-vos da necessidade’ de continuardes a prover com os meios de concluir tão importante melhoramento. . O eenaiterio de Cámeica;; construído em 1S36—acha-se em péssimo estado» Sem muros e invadido dé maito e de gramma ^erveelle de pastagem aos animaes. Sei qne este resultado é devido- prineipalmcnte ao1 modo porque as camaras municipaes descurãode seos mais indeclináveis deveres, mas nem por isso deixa de correr a esta assembíéa a obrigação de dotar aquelia freguezia de utug obra tão necessária. Assim pois qualquer quantia qiienesto sentidodciiba de de~ crelar—será de muito proveito-, . Nas mesmas cireumstaneiás estã o cemiterio doQueimado e de outros pontos da província, sognndó noticias vagas que recefei, nâo-me tendoainda- chbga^- dc as informações que exigi. ■ ' ■ iNSTKUCÇAÕ PUBLSCAÍ' . : Eüstcm areadas na província 57 cadeiras de ins-irurrtio publica,1 a -saber: 50 de insírucção primariae 7- de instnicçâo secundaria. Tratarei de cada uma das espeeies separadamente. ■ : . ItíSTBUeçÀ0 fKIM^RíA.1- A ' 1 ei n. \r, de z\ de j ul tio do a n n o passa do, exti n gu in do adi ree to ria da i n s - iruição publica, destribuio este serviço por 5 inspeclores dp dislrfeíos escolares, independentes e sugeífos somente ao presidente da' phnincia. A Rendendo n necessidade demais prompta vigilância, deu à cada inspector, uma circtiínscrip- ção limitada, mas eoiivoi» que completeis a reforma.,- cenlraiisa-ndo este ram o-da-* administração. Sei» um inspector geral, com quem se entendão os de disirietos, não haverá uniformidade nas providencias que devem ser dadas acerca de cada uma das escolas. Sbi que esta medida acarretará--mais despesas- —mas—'a não ser completada a reforma—ó preferível a anterior instituição-de um director - de iuslrucção-publicar Havia sido nomeado inspector do 1" districto o procurador fisca! da fazendas hâcharel José Camilío Ferreira Rebeilo, que tem-: assento nesta assembíéa. A'" bem do serviço publico declarei a.incotnpatibilidade daquelles dons cargos, vista da lei citada e do decreto que regula as fuucções dos procuradores fiscaes- da fazenda, e, tendo elle optado pelo segundo, nomeei para subsíituii-o ao Rv. Padre Joaquim de Santa Maria Magdgiena Duarte, qqe também oecupa um ]u<*ar neste recinto. Das 50 cadeiras do ensino elementar iT^ãc destinadas ao sexo masculino e 3 ao sexo feminino. Quanto, ás primeiras-estão providas effècti va mente 3a, interina mente 1, achando-se vagas? e pelo-.qmí diz respeito ás segundas, estão providas eíf clivaroente2-~e inierinametUe !J Estas estão distribuídas do modo ^ seguinte: - Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Arquivo Preblico do Estado do E sp flto S a n to - XDOD- Bit^llí^t^c^aDii^it^l- 1999 Jischolas Aiumnos. Santa Cruz A Linhares 20 Nova Almeida 17 ■ Riacho, vaga Piraque-assú . Barra do ftio Doce, vaga 12 ■ " 7 ~ir~ Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 — 1 9 — São .Matheus ^ íi.ü Barra ilc S&o Matheus 31 , Itaunas " %1 . 3 . TÃíT .. Bonde sc vê que a matricula cffocluada nas 47 aulas -do sexo masculino aíé o primeiro semestre do corrente mino subio à 1177 uíumnos, havendo uma diíFerença de BO para mais sobre a do armo anterior,,qpa não excedeo á JOS7. A das aulas do sexo feminino foi até o mesmo tempo de i;t) almimas, quando a do atmo anterior tinha sido de 5.3, diíferoqça para mais, 16, O total da matricula de um e outro sexo durante o primeiro semestre do corrente anno foi pois de 1,210, " . ' ' ' " ' " 1 . ' O do anno anterior de 1140,, c q excesso rlaquelle sobre este de 106. E’ de notar a desproporção que ha entre o numero de esçholas do sexo mascu- .. tino e o do sexo feminino. -Não posso afinar com a rasSo desta desigualdade. Trata-se do ensino elementar & uma vez que na. população íião existe essa immensa differença —ella não pode, não,dêve dar-sequanto ao ensino das pri- melras letras Por outro lado parccé-ine excessivo o numero das esc bolas do sexo masculino. Em uma província que conta apenas 10 lYoguazias— 6 extraordinário o numero do 47 esçholas de insliueção primaria. Porventura 6 este o mptivo, porque.7 estão vagas c 7 ivilerinamente providas. Ba esehola d« flO alumnos como a da Cidade Üe SãoMaíbeos e outra de A somente como a da vijía de áanUt Cruz. - ■ Ha algumas que estão vag&s ámníto msfis de anno—íaes sãoas.deltabapoana, Alegre, póvoação do Rio Doce. Ha outras que já o estão a bastante tempo —como ã.de Piraquéasstí e Riacho. A süppressão desta e das que não são frequentadas por um mim eró calculado como' termó medio.de toíal nos ai um nos é uma medida de Justiça e de economia ; bem como ã creação de outras para o séxo feminino. Esso numcrc pqde ger o de 2’i que é o mais approximado ao quocientc de 1117 dividido por 47, Lembrarei tàmbem a idea dp augmento de gratificação ao professor que lecciónar à alumnos, cujo numero excedei o que foi* determinado. ' Para chegar-se à esfe resultado fora mister que atitõ.rièasãeis.á presidência á propor dépois de maduro exame as suppressões e alterações—que parecessem ' Convenientes. ■ : . 1 ,S ■4» Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- 1999 Atei» destas ha 3 osetoolas particulares, uma em Itapemirim, outra em Cam hoapína, e a terceira em Santa Cru*,, frequentada por 15 ai um nos e regida pd* ío respectivo parocho, que lambem é membro desta assem bléa. 1 NosuHunos5annost.ein.se gasta com a instrueçao primaria 77:AtlSgAl3, à saber': 1853 10:975878ff - 4859= i’â;5A2g591k - : .. ■ Í860Í : .. lÍ5:207S^r3. ■ . ;■ . ■ 1861 *7:368gÒ95 1862; lÈ9:/i04gÔ62: O tenho media deste qtiinqiteitniU ; vem" a sef —15:à99g68á quimtia oífôrece uma difiiéreaça de 3:9(J4g389 para menos"da que a despendida no uíft- i»»-ann«: iNSÍftEJC^AÕ SECrsfiA-EIA, O*' ensino secundário e diido coino já-r vos-- disse, em' 7- ■ cadeiras 1 W lyce» desta capital, e 3;de latim na "(Cidade de-S* Majheus,e nas villas da Serra e Bcoe- veon«. . ■ ' ■ ■ . ■. :  cadeira- de phtiosophia aihd’a se-acfta vaga .’ ; As outras são;freqaènladas do modó seguinte f-? Lyceo. ■ Aula de ia tirai' . 4 9 . . . , . '.' Franeez' ■. ■ ■ l®;'1: ... ..■■■. :... ■ - . = Historia e: géograpliia1 F . Historia patria e língua nacional &■; ; Aulas avulsas-de-' latim. ...;. . : Sã <>Ma limos 3’ Serra 8" líenevente- 19' l>or mappa an nexo* Ve reis o- quadro das esetioias díriiisírueçSo: priinarta^eoro, designação de seos actiides professores-e pi,ovií»entosi- . PtínUCA -E- VACCINAv . O estado sanitario da província qiie ha muito tempo não soífre' sensível altera-' ção; c hojé mais lisongeiro dó que o era ao tempo em-que foi escripto o ultimo relatorio : - ■ . Gessarsó completa mente as fêbres decáràeter'pernieioso; q&è ontSo grassava o nâ^fégttczià^drVianna e;' no disiricto de Mangarahjyas quaes alias devem ser consideradas come endemióas nesses; logai^s.; No ultimo semestre o medico'da próvineia—D riF ra n c i sco li o m es "d e' A za m - buja Mei relies, tfa tom de 96 dec h tes, dos qu âe »■ fa ilecerã o õ. ■ Erào - -■ : . , Homens' ■ ■' ' ' ' ' " . Mulheres- . . . .. ■ . -. -42 . : ’ 96.- " ' ■ ' Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 — 2 0 — Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 ~ s» - ‘ Adultoá ' 58C . Menores . . % . ' . . : ■ 9lV ■ Existem ná província1 trez vaccin adores ; aquelleDr. Azaaibuja MeirellW— na capital;* Domingos Lourenço Vianna, em Guarapary e Carlos Augusto Nogueira da Gama, em Linhares. No mesmo poriodo furfio vaceibadbs nesta cidade !Í5 pessoas sonieute, sendo 5 praças' do corpo deguarniçSo-. : Tão limitado numero de vaccínaçío demónstra a repugnância, filha dia ignorância e descdido, com que o povo recebe este poderoso preservativo contra uina das maiores enfermidades que aflligcm a humanidade. FuumivàÇAõ PUisucá. ^ O serviço dá illumi nação publica é feito por arrematado e emprega <55 Iam- pides. O arrematante Luiz José da Vicio ria é obrigado ater nccesos os lampiões um quarto de hora antes de anoitecer e a-conservá-los nas noites de luar até um quarto de hora depois do apparecimento do-iúár sob pena de pagar IgOOO por lampião apagado*. Por este serviço recebe em prestações mensaes CgQSõ réis como preço de eáda lampião,cujos concertos o reparos correm por süa conta, excepto ivo; caso de força maior. Dóvendò ser este serviço inspeccibnado pela policia fáz-se sentir aoecessida- dte de guardas que diariamente denunciem as faltas encontradas.. GtlRÀS PUBLICAS. - ■ ■ ■ Ao encetar a1 administração desta província- comprehendi que não me era dado promover, ao menos nos primeiros tempos , os muitos melhoramentos materiaes, de que elta carece. Como vereis cm outro logar os cofrds provinciaes achavão-se emí verdadeira- peruria. : ..... . Até 18'dejjVíhho a receita arrecadada impòrtouem £5:2tl$608,a despeza effe- tuada em rs./iã:2088748, e a ordenada mas n o cumprida por faltado numera» rio elevava-se á;10:79“858fr. ....... Nestas circumstancias cumpria-me ou- con traiu r um empresíimo.ou empregar a mais rostricta e absoluta economia, Adóptci o segubdo alvitre. O recurso do; empréstimo para construcção de obras nãodeve ser empré'- gado senãomó caso de indeclinável necessidade,porquê quasí sempre a utilidade da empresa não indemnisa os juros da quantia tomada1 por empréstimo.. Nada tenho ê acercseeníàr ao-que sobrè o objecto- deste capitulo, disse eia seu relatorio «. meu iUustre antecessor,, '. ' Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- B ib liotteaDigital- ll^í^í? ... . ~ 22 ~ . As estradas de S. Pedro de AlcanUra, de Santa Thcresa, de Itapemirim, de S. Matheos, e o canal de Itaunas lem absorvido o cuidado de quasi iodos og meus antecessores. Vòs conheceis a historia de cada uma dessas vias dé commu- ni cação, e estaes perfeita mente coo vencidos da'necessidade de aperfeiçoa las. Parece-me, porem. que em ve/, de decre lã r-sesenHiltauea mente a tnnsitão. Segundo fui informado— elia ficará prompla, sem exceder também a despesa orçada. ! : . • ’ :■ 1 ■ ■ Estrada da colonia de S. Leopoldina ao Porto Velho. Ainda não forão apresentados a planta e orçamento desta obra, encarregada IKÍr niert iIlustre antecessor ao engenheiro do La Martinicre. Este, porem, informou ~roô, que nâo será com pequena despesa- que ella poderá ser feita. - DesóbstrdcçaÔ no iuo Preio. Este affluenle do rio S. Matheos, banha um território povoado por muitos lavradores, e é conseguiu temente á via de còrmmmicaçáo—que naturaJíiieiUe se Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? — 23 — ilhes offcwe para o transporto do pro dueto de soas lavouras—ao mercado da cidade de S Matheos, mas muslanlemenle obstruído—demanda algum trabalhe, ;para qué possa ser navegado A caiAárá municipal dàqudia cidade pe le o auxilio de t:093$009 r3 , que me parece »à» (he pode ser negado á vista da Utilidade de serviço qae projeota. PoKTR Os MAUtfHYPE. O concerto destaponte. que ameaça rusiva. fci orçado ppl.» engenheiro IflM ir- t iniere em rs. e posto em pnça e arremaUJu-1 ficõu-sem cumprimento. Não ha verba dern-ta da para tal despesa, qu-ieria de sair das eveiituaès—- jà h* muito ex-edtjas. Juiguei por melhor apresentará vossa Consideração, para que a auUmséis. Ponte da Bomba. Está nas mesmas condieções da anterior. Foí orçada em 3S2$38X PONTC SOBRE AS <ÍA\OEIftAS l)E ÍT&PKÍim.M. , Orçada cm 2:!)00j MM) rs. foi ella eunsbuílu grálu tumenle e acabidh pelo» c ida d Sos capino Joaquim Mareei li no da Silva Lima e Dr. Joaquim Anloido de Olive ra Seabra. Agrmteei-lhes este acto de desinteresse e de civismo. Terras tubucas. Tm viajante cheio de erudição observou que esta província ,sob o-ponto do rvista da agr.cultura ofTerece trez regiões dísii netas :!a na ao N. -desde o Mucury até Sarna‘tini,*, compr hendeiido o afamado valie do liio Doce,outra desdo S.mla ‘Gruz até líeneve te, composta de tenras menos ferieis, c a terceira desde Bene- vento dé e rio llabapoana, que ó de uma júerdadc reconhecida por todos. Nflo é preciso multa reflexão para eomprehendei-se que a popu! tçáo d-i provi»~ cia, bem como a sua industria e riqueza oecupão estas Ires secçõe*, formando como outros tantos nu :leos;imis apesar da exeelleneia das regida-* extremas è de noiarqoe a pro,ura da»íerras avaliou, ao manos até certo tempo, na que fica no centro. E’ assim que nesta fiirs« assentadas as duas príneípaes e mais importantes colo* silas estrangeiras. Ainda que pequena a população da provia cia tem se conservado no liUoral, zomiándo dos exforeos e dos imfuensqs -sacrifícios daadmiriis- íraçm para pov»ar os sertões e estt^belecer franca cíímmnnic»çço com a pmjnct» de Minas Gerai-s. O expcdinite.de que ognverno tem >ançad'>m*o, facíEitandoa vonda dosterra» devo lutas não tem p-dido combater içfiicazmente essa tendem-ía centrifuga que jíia dor lado Ijuia o vagaiusa a exp,oração de terrenos mais ferteis, que se acbãg iip nilerípr. w Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- B ib liotteaDigital- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 , . - m -■ ■Desde 1339 até o aUiüio de ju'hadecorrente anno fnrSft vendidasAfí. ÍÍ6,2SÍ braças quadradas da terras devolutasna importância de47.35dpí5. sendo «is 1839 18fi0 IStfl ■Í862 1863 Estas 40,1 itt 26t bra as quadradas eoust.Ujem 80 lotes, sendo • no município da. Vidoria- 7,013:930 brn par G:32íg303* t.í:785:d03 G « tóoiO |*>00 11:188:003 * f l.<&78g300 l0;.0á7:V)93 CC <£ 11:89tíj25i 1:2j9:1 dd * « 2.44>, üG.) d 81 bras ças quadradas- . ■Elies es ía o d ís tf 1 b ui d os do modo seguinte : ■ Sííinicipios íj"íe V-kííiria- Santa Cruz St rra E em-vento- lia-pomiriiH: S.IWaiiiciia ' l-ôO* 7. ■ 410 ±: 4- i BRAÇAS QtJADftADíSv ts-ors.f^f- 10:9*3, V; 0 - Vi3i,l>.:8 21,375,WO- - 588,185 8,037, 388. ~ A% aliando em real é meio « termo medio-do preço de cada braça os 137'iates podem produzir ao estado *75:861t. rs. dddiísidas as despes-is de medição;-' Representei ao governo imperial, opinando como na iíoal mento se fai ver- pola venda destes lotes já' medidos e com os quaes se íizeriio as despesas neces sarias, e quaesqtter que ienhflo sido as nizõosque motivarão o a*iso n.'6'de 19'do marçtrdo corrente-anno, espero que sejão altstuiidos tantos pedidos, ma sim o polanecessidade-em que oslè o governo de indemnisar-se dos sacrifícios empre * gados. Para regularisar o serviço das medições não só relativameníe ás terras devo-- iulas, que se houverem de-vender á parlirulares, como ás posses o sesmarias, sugeitas-â legitimação e revalidação, meu antecessor dividioa província em qaa-- tro tiisíricíoSjOmle os respectivos engenheiros servem no mesmo tempo os cargos dè. juizes eo;iamiss*ríos Aíterci à divisão, quo ficou do modo seguinte: Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Arquivo Preblico do Estado do E sp flto S a n to - XDOD- Bit^llí^t^c^aDii^it^l- 1999 Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Arquivo Preblico do Estado do E sp flto S a n to - XDOD- Bit^llí^t^c^aDii^it^l- 1999 Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Sígofidij' ivie iaformoH-o direetor ■ gorai não existo aslu-4 atente eatechesa aa- província. . . O aMeamenlo-Impcml Affjhsmo,iia:ico quo a principio ú&a esperanças de algum resulta d ii, esiá quasi extincí». Em fSdOelle alü encontrou apenas Í3 intUos — faHnm-loa lingiia portuguesa e empregando-se no mister dejormd-ínts. Qinsta porem, «nonas maKas enlro o Habapoana e o líàpeimnm esta cio não duas hnrJa-s de Furis, uma entro o primeiro daqtmlles rins o o -Mwjui e outra entra este o o Hapemirim. Fre ume-sc IJiie com os, primeiros vivem alguns hn-mens eiviluados e aíè ó conhecido nin do nome Cândido Martins. Apesar dos exIAreos empregados pólo director para estabelece-los no Abieameuls imperial AíFonsino, nada aiò hoje se tom conseguido. Na'fazenda de JoSo Fero ira, disírido do Calçado estão aggregados cerca de iO que são dirigidos e-protegidos pura qual le fazen dei m. For esta simples exposição vide o quanto ha a fazer «esto- raino da administra^ ção, Sem perseverança,- dediuação, e raridade evangélica nada se conseguirá no sentido de chamar estes infelizes ao goso da: civilização. As diligencias para oaldeamealo da iribudos Mu!uus no porto de S^uza teuu sido infíUcÜferas principal mento pela falia doam missionai io, Cr. Bento de Bubio que no Guandu se empregava neste louvável trabalho nada consegui-o, reiirando-so para o Cir^lhé, oncié exerce asuá míssfo.- Ora, está boje demonstra lo pela experiencia não só aqui como em todas as províncias do império que o elemento religioso bom encaminhado é o mais ídrto e o mais cílicaz para a emlisação dos indio.s: Assim pois a falta de missionários é um verdadeiro embaraço para este ramo de- serviço. O regulament» de 2í do julho de 18íã sendo tio escrupuloso em providencias não satisfaz á to Uu as exiganei-íS «,s.ará íuiproílcus- nas lircuassí-moU-s-- quc acsbo de expor, Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 - M - v A 20 do mez passado falleceu « cidadão Joaquim Thomiiz de Almeida Cal- mon d ti Pia, encarregado de aldear os Í»dios,qtie vagão pelas margee* de Uio Doce. COXFAYBH DE APUES DIZfiSJIARINHBUOS. Creatía por decreto n. 2893 de 8 da fevereiro de 1862 — *sfs companhia deve ficar oxganisada e é regida pel« regulamento n. 15)7 de £ de janeira de 1853. O seu numero ó de 290 a p re n d i zes tmar in hei ros, mas iufeliznneiíU» aiuda conta 23apeuas — couto Vê-se do seguinte quadro. ■ ■ ■ ■ ' ■ ,j Q: > m * . © Jts C9 ' Mj' . . Cl. E ,o ' ® ' J2 : J2 i A o» a S o • -o A tf} Lí: A ' « tu- ' © © •M &3 o *■3 A UQ Esl t'.a.pitão tenente com. 4 ■ } 4 Tenentes : 2 rt t-ommis.de 2* classe i ■1 ..g ííseriy de; a* classe i N m U- Fje! de 2* elipse 4 i ,i» v fMeriíe -1 "cí •:g 9 Dito de 2‘cjasse 1 i fe-* ta -js s ~ juuardião 1 1 2 IMosire d ermas ' d st .MariUheiros de e!à>se sup: 8 '8 ■"Aprendizes Marinheiros n 1 77 200 Sotnrna «9 t90 t Desite 23 de maio n!5o augmentou-so nem dimiauio o numero,que enlio hni# de. aprendizes marinheiros. E’quisi inveneivéi a repugnância,com que ospacs ontregâo sem filhos ao rigor edisciplina da marinha militar. N js curtos dias qu3 ccmi-i a minha adui- nislraçSo nada pude conseguir, nem aprovoilar-me dos exforços empregados para obtenção de menores. Sob o comiiMíi lo de capitão tenentoJosá Lopes de Sá o pessoal da companhia offorece hoje uma aitcrnçâo, 0 C‘immi*sarip dá 2’ classe Francisco Josr de Alcantara, qu3acha se liceoci- ádo.foi subsvituido por Elisew,dó Oliveira Borges. Não está ainda feito oreparo de§ue precisão quartel da corapanhií iia fortalezn de A. FranciscoJlUvier da BurraA 1 5 Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 £7 ^ . ■ - . . , CüLüKIAS. ... .. He nesta provinnia trcz cíifonias, a r.José Maurício Fernandes Pereira de Borres ; e, tioaímente a di Rio iSoyo fundada cm d855 pnr .uma associaçãoparticular subvencionada pelo.goyerim Imperial,e á este cedidapcío contracto de ,7 de ouíubro de 186 J, ' Santa Uabel. eEsfà colooií situada à 7! ego as 0. S. 0. da capital entro cs rios Imú o Braço do Sul ; ó dirigida p 1 > engenheiro Adalberto Jalm ; nomeado pato governo Imperial a 2J «Ia ag.U A 31 de dezembro do anno passado - Unha-se augmenlado com mais 9# pessoas e .unho erà« : Homens ■ Mulheres ' ' !3/7 , \-80t Catholicos 363 Protestantes ■ ■ .. ■ . 801 Erasileirna '3:S Estrangeiros ■' 4hG ■. 801 Destes novos colonos lia íDíamjíiíis brasileiras,que se estabelecerão no dislrie* io do íiratO do .Vui. v : ■ ■■ - 0 ésl dn saoilario é regular p pela saiu br idade do clima, já pelos cuidados e zelo do l)r lirneski Mondo s. Durante o anno.de 1862 tonsCuirio-se riguns ponliihuos e começarão-se oi trabalhos da mudança dá ca pcíía protestante par«o centro 078iC:l. / « « 1SÔ9-4ÉUK í( « « iík0--l86í. 71::,S^589 « a « 186 f -18iPi: 47:{69á1 ‘9 « « « 481.2 1803-1 4í,:(i3(.g05l Julho e agosto do 1UG3 jS:762Kf80 " 27Íu32es„3~ E'.'evidente que no ex?ririo de 1838-4 8;; 9'as despe-as dà coloriia importarão em outro tanto e tinds um ter.o dc todas as d*- - pesas feitas nos primemos dei an- j-ios contados de sua fmdaçso, e que o termo medio de íts no ultimo quinquênio (50:241 $8.47)-excc-de m«it» á tudo quanto sé despend-oi desue 1847 até o ultimo de junho de 1859, período, qua eoinpreiiende «s onze primeiros anr.osd* sua existência;. O- exercício oin que mais se gastou foi o de 1860 1861- sendo a despesa em 71 ;38*Jg3 8í>» Em o atina. do l&52a despesa importeu em 33 8383390 rs, a saber : ' Em abertura da estrada de-Guarapary, outros caminhos, pon ti limes, concertos - #tc. 435:9381(00 Com a medição de 19:000 br. 73ÍW200- ' Comdiarias 6:617^300 Com transporte e ostab. de colonos 1:3i3^I00 . Com adiantamento, cadeia é eventuaes 433g5í0 Com a ponte sobre-o rio Braço do Sub í :75ig2t.í> - 35:808^800 > , Nio tenho mais largas informações á re«peU« deste estabelecimento, porqae, fogo, depoisqua tomoi posse da ^dmÍiíÍriravão, o seu direcler, tende. obtido Bk Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- 1999 Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 — — o*nça-- para ir ao Ri» doíancir» (ralar de negociol respectnos 4 eolonia; aift~ da feóje alií se acha. Serve íntirlnameate de directoro meJico—Dr. Eraeslü Mendode Andrade e Oliveira. . ' ■ Santa Leotoí.dina% Esta csinnia situada a 8 logaasE. S. E. dd capUal.im marg-íns do rio Sint* Maria, entrei!* h' de longitude, e 19' 57’ V da latitude è dirigida desde 13 d* setembro de 1861 pelo Dr. Franeisco RuJiO; Ém 1861 oonltiva elia 256 familias.c0m 1065 pessoas, das quaei : Homens 555 Mulheres- 516' aofü Adultos ■ m Meiíurea 57 a 1065 CatiiolicoS' 35* Protestantes 711 1065 .es k 7 do corrente mez, tendo jã havido um augmento de 10* pessoas,seu h»mbt&* eievava-se á 1 ifi9 á saber: . . p . . ■ Homens SS# Mulüeres 675 J16» Adultos £37 Menores 631 1 Calboíicos 399 Protestantes 770 1 í tesr- Casador 648 Viúvos 31 Solteiro» &■; Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- 1999 Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 M Qu&iits à nacionalidade c religião es Ho distribuídos do m«do seguinte N A Cl 0 N A LI D AB ES. O j 'Ê 1 OS sí 53 CA O Jíadrnscs 93 61 " 7 Ibuaros : . c 33 l!) ■14 Leigas 12 tl í .Kraficezes . ; 4 15 í ' ■Hatmvoõnxos ■: í i c 3 ■ 8 Masseianos "! 80 4« ■ ■ U llolhtjióezes - x- i 1 0 . :22 lít3 • Holst -ntenses * 13 : 4 lí .In le/os - ' r: 0 ■: 2 rLjivemburptpzes : CD 69 'S Ste kmtnhurguczes 7 2 s De Nassans ã 6 .6 ãOldeophurgífézes ■ -4 h Sdivrarbuguezes 4 ãA S;r on ms , ; 72 2 70 Suissos . 8íi 22 67 ; Tyroleses 97 97 "Prussianos 42 d 76 Sá} .. . / ' IS i t i-69j 399 í 770 Houve este anno -5 i nascimentos e 10 obitos. Estes são o de 7 cresnças menores de 2 amios ; o de Car-los Pt st h. que Hjppõe-se ter sido assassinai d o, cor mo já eiH on.rn u-gir referi --.o do lander Hollaiulez —por haver suecumbido ás fadigas da «édiiniiçãoq é-o da yiuva Judilii Midler — da uma tísica. - íiituicr Ilt.Üamii'/- ‘ie instai tara omnno passado. s 1 Desta simples exposição se eoueiueque é cxtraor-diaanamentfl favorave) o estado sanitário da colonia.; 5 ■ ■; Como o dei-anta Izabel o seu clima tem a vantagem de uma ineontestavel saiu- bii( aiic. . ■ : ■ V - «Os habitantes das .zonas temperadas, como mu' bem observou um erudito scriploS não em sgrão rápidarnente- e sem transição, p-iru .as regiões erpiüori* aes. Ainda mesmo ims condições hattitqjies da sau !e as mais favuraveis.e quando as suas fortunas lhes perinitíena (.«marfim jÈódas as precauções inspiradas pela ltyg'ene a mais previdente, as funocôcs de sua dila orgânica soffrem uma perturbação toai* ou m:enost(i.uraJoúraf' P prolongado deba xo de um sol ardente, j-i de uma alimentação'insuTieienÊo ou contrara iis exi r n i ts do clima. Nestes easos enfermidades graves, qinst sempre epidemií as tornão se ttievUaveis. e una mortalidade assmladora deslroé para logo a coliura nascente » thnsbem, SantaLeopoldina come em S»;ita Fita. b-‘l — um t'Trono a-o-ideo beloe hu-iafitc eh" a to do nível do mar --oíT roce ao enropeo em clima wm lavei, um ar tino o pro, uata temperatura seuáo igual—ao menos v minha a do que gosava na uiãe pátria. "ã Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? — 3Í - .Nsstfts togares a mortalidade é qinsi nenhuma. Sem duvida os terrenos nao s3 > os mais farieis da pravinoia.Reehas immeíisas de granito e pequenas vallas contrasta» com „ulros legares'cuia fertilidade agradece ao lavrador amante do trabalho com frustes mais que -m Ui cientes a sua subsistência. ‘ ' . . Na phrase poética do ae.laal direeU>r «s terras da ''olonii de Santa ieopoldina afto a constituem u na mn tun emito pretender» <> seu fundador, nem uma sahara, f como a pintou o seu inimigo mai-! 'perigoso o Sr. de Tscím li. Por amor da sa- Iabi idad« o da propriedade da clima soiifre-se-Ihc a exigência de mais usdíJho e aturadii trabalLe* para-i |i.rodu :ç;o. - ' Visitei este eslabel -cimento e lá oh o a satisfação de assegurar vos que em contrario ás asserçõestio Sr, Tscjtudi encontrei em eíguns lugares as taquaras eo : magestosu Jeqtid.bá, íiidiciosd.a ub; r lado das temis, que os pioduz: um que vi em minha passagem vinha mais de;7 pdmnsde diâmetro. . ; .NãopípLúdo desconhecer porem que cr inas mfeiízmeníe verdadeiras tem concót rulo para o mau fado dcsti colooia^denominada outf’ora“*a calúnia dos mytíerios-, e, o que é peior, para oscú descrédito, ■ Estas cau-ias- podem rodiuir-se a trez, ' - Inco! tesa dos- presos. - ■' ' Má escolha dos colonos, ínlerinidade dos direçíores. ' A' estas prendom-se to Ias l*s outras. Não obstante os aeneíosos reforço* ilo governo Tmpsrial a mediçfo de praso# de 62:õd0 braças quadrad-iS fi»i imperfeita de cometo, tocando a alguns colonos ' uma extensão m iou>jforso tambam oi menus felims na partilha dos prtuos Sí- ttiarSn-se.no iogir. h->iiiaito—o!o nia Velha. ' ' Ha po mm excepçõ^s hnntsas em Pranvlí A lanar, Bueher e outros que sã0 bons trabalhadores e-vivem indepndmilese satisfeitos,- ■ ■ ' ' ' " ■■■ ■ . , ■ : V . g Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 ~ â-i — O Os colono» incapazes vindos da europa o esta má acijuisição—nSo concorrera pouco para o atraso do estabelecimento. Eh* falis de lav< afa» que nêo proa vão, tornarão-se [«rnaleíros e pensionistas do estado, recebendo mtíitos dilies diaries por deus anriós.' As int«ri'nidades são o vicio de'todas as administrações. Nesta colonía em poucomais de b annos houve M directo-res e- adóiibisfratlir, Francisco Gomes de AzanibujaMei- relles para modieo desta coionía: ; Não era possível que o único facultativo de Santa ízabel continuasse a curar de iodos os enfermos de ambos’ os estabelecimentos.' , Outra necessidade que ainda iiín* foi atíendida, mas reclama prompia satisfação é de um professor deinslntóção primaria—para 2aO Aiehttios. què «stiHí privados do ensino das primeiros letras. Esta falta-«j taiiU» mais sensível quanto evtraor— dinario em uma provincia pequena, comoesia o numero daí escolas, alguma das quaes frequentadas-apenas por 12, 11,10è 4é por7*-ídufonos. Os cofres geraes grais li cão com Sü^OtK) meiisaos—à quem qniicr dedicar-se á case mister nas colônias. Mas ó isso’'iõoáíanle, qu colo vós rotmniieceis que o* vencimentos do professor nau ca podeiu ser menores da quantia du 2óg rs. ? Ousd poia propor-vo* uma medida, que em vo-sa sabedoria Aquilatareis, c é a rreáçíurdc ems escola em Santa Leopoidiua, podendo o respectivo professor receber a gratificação ofjfere- cída peles- cofr es goraes, ■■ Considerando-se o numero crescido de protestantes, que existem nesta colos »i3, (770)-é evidente qoe eíla carece de uni past- r eyangeíico—aili residente, para ministrar-lhes os ímccorros espinlimes. He st ri q ue Egger, q üè m orá á gra tule dista nci a—em Santa fzabd .-não pode exercer em Santa Eeopoítíina todas as fu-neções de seu ministério. Esta oolonia não produz para o proprio consumo à excepçãole algum; ceí • o íarinha feita da iüanilíõcav ' Tom. uma nascente creação contando já IftOmabecas de gado vacaim, 1:80o a 2009 do sus tio, 30 docavallar, e muitas aves domesticas, que são Ira silas aó" mercado desta capital. Apesar de jà se lerem dado muitos caminhos estes preciso de melhoramento sendo coníó são susceptíveis do facíl. deterioração, por ser o terreno muito moú- 1 fanhoso - . Faz-se misfr principal mente a aberturade uma estrada, que partindo do : estabelecimento, termine no Porto Velho, em fronte desta capital mas essa obra demanda grande dispéndio* para o qual não s.-iã habilitada o presidência. A casa que deve servir do habitação ao direetor, ainda não está concluida' posto que começada em ISÕOi E' úmaPasa regular, na qual, todavia, já sé tom gasto grande somma. Segundo as-iuformatões da thesowarla de Fazenda este estabelecimento desde sua fundação até Si tíe agosto uliiino tem custado ao -slado,-aparte a conducçã© jdos colonos, prêmio aos engajadoros & -a quantia de 4-75;O8Sg006 á saber de areiro até julho de 1837. 9.6ó4)jo9í* Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 â3 23;8í3?6'tT , 59:7803158 ' , t33:9i*$W0^ _ I3l:53(>g*279 ■ 77:87.6$78S . 1 ■ . . 3.8.5(Í2$'J73: *3 5^c0__ 4Í75:bÍ33í90íí 0' termo medio das despesas durante o período, que abrange os ultimes eme» •««os, importa na quantia' de 88:2sig999, Os exercícios em que mais ee gastou forào de 1859 1S«[> e 1860-1861. No exercício de 1857 1858 ■ « « « 1858-1859 « : « a 18591860 « ■«■ /« 1860 1861 « « « 18(0-1802 « a « 1862 1863 De julboà agosto de 1863 Kro Novo Esta coionia f*d fundada por uma-associação que a 7de outubro de Í861 eodbr^ ao Governe Imperial não só todas as bemtútorias e direitos ao território, assint como tudo quanto os colonos lhe estavão devendo- De ha mui:o que cila luta come diílicutdades poia incerteza das posses dos colonos e pelas contestações que tfahi nascem com as posseiros e-proprietários circu.mvisinh.os-. Os colonos deste estabeltrdmenpi longe de emprégarem-se na lavoura especula o com as madeiras e especialiaento com o jacarandá que corião era seos> prasos. Ha algumas excepeões de colonos aplicados á luvourt, mas em tão pequeno n*. que vivem. cemplolamorite desanimados. Segundo informação do dircctor geral dás colonias haahi colonos que nâo podem viver senão do mister de jornal ei ros.. O seo nb é de: 4-38 indivíduos: Homens- 229: ■ Mulheres-. 20tí . ■ . Gaiholicos 331 Protestantes 102: *MÍ- 0 director da coionia desde 23 de novembro de 1861 è o engenheiro Carlos, Kraus. E’ Pastor Evangélico Fron Pluager e cura caíholico o padre Fclippe de Soma: Machado. 0 medico, Br. Oito Linger, pedi o e obteve sua exoneração; Desde 1” de julho de 1862 atè 31 de agosto ultimo a coionia do Rio Novo tem despcndiíiocomo pessoal,dia rias, iornaes e medicamento» a-quantia-de reis 4:7Í)0$507 ' Estabelecimekto no GüAkdu’ . Fundado com o fim principal de aldear os índios, que vagueSo por aqueltas paragens, este estabelecimento foi por algum, tempo entregue ao* cuidados de missionário Fr; Bento de Biibio. Fâo louvável tentativa, porem, não tem produzido resultado algum favorável. Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- B ib liotteaDigital- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 — u — Este missionário reítrmi-se para Cuyotá. cm MmasGerses, onde se acha« o o díreetor nomeado para o estabelecimento, dmiquim Thomaz dc Almeida Caímos dn Pin, falleeoo á iíf do mez do ago-ito ultimo Mao antecessor alimentou a sspor inça de 4ii estabelecem ma coIonia nacional, soo Governo Imperial,a quem representara, coa cedes se algumas vantagens aos Ia oradores Minei .os conUdad-is por Fr Bento de 3 i'é ». O atros mees antecessorc tivepâo a mesma ídca, que porém, m\o foi ainda reatisada, Agricultura comhercio e navegaçaõ Nada tenho que acures contar ao que no ultimo relatorio foi dito 4 este tt peito, ' ■ -O café,, apesar dos embaraços soifridos ,nUi ma mento do insecto, que taa! estragps lenj cansado, vai abmrven lo pmm 5 pau.;,) as~ fonsas proíttitivas 'província. Os fazendeiros da comarca de S. Mal lidos qiie cm outros t-mpos ; pUcavão-.o-es da-d va inata á mimru dt m u-tn m, da qud íiravío a farinha 1 5 só parao consumí» interior como para a exportação, trooão hoje este gemeres 'lavoura pelo dáqtndle. Por outro !a;lo a produ mão da mnmi o conseguiu tem ente o fabrico da as :car, que antiga mento ora o principal ramo de industria ala província, cami «a rasào inversa *o augmcnly da iullurn d*>c a ISVJ por exemplo teremos. ■ ' ■' . '• ■ , ■ . j ■ ' Arroba j T8v5j i8i.6 184, 1348 . . . . • ,,4 d84a Termo medioj t>e assucar ™esi m.o&í 117 063 j :3) a32 308,540 . . .. í De café j 3i’<;33 g, i> 1 ■ ■ — — ■ —— S4 1 » S7 3 :3 [« 9<6 1 ■ Neste período a exportação do assucar snbío à 1,0-í í.704 arrobas e a do café, então multo inferi»r, chegou apeoas'á 409,93], O t r no líiedip da primeira é $03,940, qua está p;trá odármornmlio do ui li n > quinquanni» iii rá r i pdz. E’ um erro empregai* iodas hs forcas em jim só prmim i«. ijua ndif. aste é precário, e está sugei to 6 r drcúmstaijqasiUdopeódoíittísiia vontade di* homem, - ç Ainda iinifi outraraziio. Os últimos e deploráveis acontecimentos.dos Estados ;l]nidps privarão as óílieinas da França e úalnglalem de una mataria prima e ■ :tãoessóiodaS'pára o com ma rei o como pi ra <> emprego de milhares de operarieis, V que ficarão sem pão (■>' paiz que estivesse em estado de produzir o algodao, pinleriii com facilidade, elev..r a sua riqueza —por não «ocoulrar no mercado : estrangeiro o poderoso enncorreme—que hoje oc< upa-se todo da guerra int. s iua. -Nestas còndicções esta o lír->zil c a vvcss a província -ainda que fraca e pequena pode idíerec.er algum contingente á exportação geral, j Se entenderdes pois conveniente alguma aTiimaçào—á este genero de lavoura —fareis um serviço reai. do are ta ndít-a ria presente sesmo. lluas dmlpslrir s. arraigarias nos -habitas da população, prejudicão á lavoura desta prov.idcia;a primeira produz u n rtial mais proximo ao presente, é a pesca; ,a segunda, ilmJindo eora o pagamento de um forte imposto, affaeta mais o ftitu- ro: failodo corte das madeiras, - ; f ; - ■ ; - ' A populaç: o, disseminada de N. á,S. nas terras próximas ao mar, encontra ahi-abundante peixe quiiem alguns pontos faz sua prmeipal alimentação. - A que é desfavorecida da fortuna, era tez de alugar seos serviços a«s faz em) eixos, ou de entregar-so ao trabalho pezado e fátigaUte da lavoura, vive na ociosidade, p o r t) i e' d e p a. r a r a p es çu—m-d s. .fu c d e promnta subsistência: não é a vida do n«made,porque a abuiidíincifi o« peíio lhes permiUe.ísxar a sua habitação, JN4: córlo dasmiadqras e priucioaSmciiíe do jaearambí — em pregão-se municípios ímpori rudes como os de S.fou (IruzV Neva Almeida, liurajiary e Benovente. "Tanto esta como equetia- roubão a lavoura milhares de bruços, - No cudo periodo -a mi ha .administração uso pude colher dados estatísticos sobre 0 eommercio dãprovinciil. ' - 1 : : : -4, Tenho presente apenasum mappa dos gêneros uarioiiaes exportados destaca- .pitai desre l.^-de Janeiro'il; 30 dv junho do corrente anno, " EsW g meros com deslmo aos mercados dodio dedaneiro, Campos e Londn; importarão «'aqueiteseuiestre em ■dg‘2;:>9ã^p83a. ■ Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XI^C^D- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^:? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 . ' — .86'. . ■ . ííâ 30 monte uma easa com m crciat ,q trae ntrotom■ commoreio directo - com a )■ praça de Londres. ■ ■ _ , . . No pnmeiro semestre do; corrente anno entrarão no porto «esta capital 36 naviosY sahirão 35 sendo, todos empregadosma navegaçao de costa á costa eu demabotagem, coimunelhoe vereis do. quadro junto: . Entradas: Sabidas - | Procedenna.s - Xi *sT. S t_w-« qj .. .• ' X : ea . 70 ' c o 'H- ksi a 9 w È. Destinos s £ E9..C3 ^ (33- tfl '• -O « • " o> Í3 í; 1 «d 2L"e: CT qj |' Ri o de Janeiro - H 157'á 1T7 Rio de Janeiro u 2139 205 Campos ' ti - 391 - Í>1 ■ Campos 5 ■ 402 5| 17- 1965 168 líM 2761 266 Portos. do.Interioj": 19 570 1 ',7 PoTtasdoíntcriOr 10 470 911 Total 36- 2635 285 i 33 3231 385 , • • N Finanças Puovinciaês. O estado das;finanças"provínciaes n^io é'lísoogeíro como parsceo ã mòo illus- trò antecessor quando em sco ultimo relaterio se exprimia nestes termos: a Do ln de Janeiro-ao 1“ de maio d» eormite aono avrecadou-so a quantia de 1 39:3 99&560 « despendeu-se a de.35:2is7g9[)7 havendo p»r tanto um-saldo dc reis H:91 lg(i79. Este saldo-dovo namralmeute augmentar no li to do corrente mez, em que, eo mee a ,a esporte# o da- nova colheita » Tão bellas esperanças m a n gravito completa mente. Sem duvida o Balancete dositez de abrií olFercéc aquslto saidó. que-Toi absor- ' vido no seguiole mez de maio: mas já á 3 de junho o inspector da Úiesoura ria — presumia um déficit demais do7:378gO()9 -para pagomenlos cerloy e determina-- ' dos, o que eohsla.de sco otliuio ti, 67-dirigido d' presidência. - _ , A 18 desse mea trez dias depois de haver eu tomado posse da adminis! ração, ■ informou-mo o mesmo- empregado que-atè -aqueüa d .da a receita arrecadada :i importava em /i5:2ti$69S róis, e a despesa em 45;203g740, havendo o saído de 5$S68 para cumprimento de ordens »a som ma de 10;797$p8õ, e constantes de ■■■' uma relação, que;então entregou me. Entre as ordens que não liistteo sido cumpridas, por - falta dc numeraria, eti- contrso-sa algumas de -indeclinavel necessiitedo; taes são as que-dizem respeito 1 á iuses para a cadeia, á iilmninaç o da capital, ao fardamento de -soklad.os da ’ < companhia de policia. Impuz mié a rnais rigmosa e a bs o I u U c c o n üm te, nã o e n ce- tando obra -alguma nova, e esforçam) o-rae por todos os. meios .ao' meo alcance pára conseglíico equilíbrio entre á receita, e a d«speza. íi' de observar qus na .receita arrecadada figura um saldo de 8:233$328f: que foi.: deixado pelo exercício ultimo. - De Io do Janeir> até 31 de agosto arrecadou-se a quantia de 70H)7Sp2õ o des- pgüdeo se a de6J;929p57, ficando um saldo de 74yjj2í.Sô qitepassou para o cor- - msía mez, romqS:0lH)íJí)0í), que devem-se receber daí recebedorias e agepeias - Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Arquivo Preblico do Estado do E sp flto S a n to - XDOD- Bit^llí^t^c^aDii^it^l- 1999 Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Arquivo Preblico do Estado do E sp flto S a n to - XDOD- Bit^llí^t^c^aDii^it^l- 1999 Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 f Informem me o inspector da thesouraria queadespeza do corrente m*z importaria em U:02íi?J5()í), o que, imemlo á ciiiiiprir ordens «o valor de 12:6358009 teria logar um deli ei t de 4:9l0g237. Esse déficit nno é real, porque entreasor- dens de despezas consid^rou-se a portarii n" 55 de 10 de tnarço, qqe per: conta das 12 apólices da divida publica, eompradas com o produeto doimposto destinado á fundação de um Hospital em S. Malbeiis mandou entregar tCOíiÓgloO ao tenente eoromd Malheo* Antonio dos Sanles para a »bra da. Matriz da mesma cidade Como vedes esiaoperaçãoconstitue um empréstimo, devendo a provincia* embolsar-se como produeto davenda das mesmas apólices. Não obstante e sendo- • pfejudkdal aoservi^i o estado de penúria dos cofres província es—mandei sobre - esUr em algumas despezas que n ao era o de primeira necessidade. 3á o anno passado, - v<*s foi cooimunicíido ó adiantamento de 5.330JJOOO que ' também por conta daquellas doze apólices.fera feito para diversas obras da comarca do S, Matheos E: se naqoeüa owasLão a baix< dos fundos puMicos— ihe aeon- ' selíjara o não usar da autoris.ição do vender as mesmas apojicesr lvòjé sóbè do ' ppnto essa rasão, porque como sabeis, a crise monetária se foz aenlir õoin mais 1 forca. Se porem comoé de esperar;uma colheita abundante vier augmenlar a rj- queza publica e resfobeloeer a cooliança—poderemos também desfazer-nos. desse»■■■■* títulos e ímlemnisiir os-.cofres provmoiaesda importância do etuprestimo, que ei- les tem feito. ‘ Do bylanço da receita arrecadada desde l;° de jaoeiro até 31 de agosto vereii ; quo as verbas dos dUTerentes impostos importarão nas seguintes parcellas: Direitos de exporfoçsõ 34:715Í7A7 Ditos-de 15 por '/. da madeira ■ 8:2478517 ' Décima de prédios 1:4758438 Dita de lie rança l:7 * l}>101 iSi.za de vendá dc escravos , 9:801gtíOÓ v Taxa de venda de aguardente ' 3:4905000 Impostí) de fabrica de diía 2303C0O ‘ Táxa de passagem de rios-: 15^09 Imposlo de 'cmla de^olvora 3105000 ' Düo sobre ex po rtaçà o d o escravos 10t5000 Emol ume t tios- das estações previne i a es : • 685ÍÍ740 ' NoV«s direilo# 10415177 MuJNs por óníracçaft de leis e regalamemoS- '■ ■ 328997 DiMda..activâ 2, 0,^882 'V Re posições restituições 38gí40>'. Eventual' 8«2rS2ü9 Saldo do atino anterior 8:2,>3 3 8 ■ Despcza á aiinuUar- ■ 7gX«0 ' Distribuídos pelás diferentes estações íiscaes, terem o» 70:67^326 ■- Cipital ,, 37:89019147 ■ Cidade de São Mathéos s 7:0itíSfí04 Barra de São Matheos ^ 1:7:tíí4t2 Santa Cruz 1 3:275 3 9 41 Nova Almeida 02v;o 0 Serra SilfcjOO Espirito Santo x- . , ' 10US020 Gúarapary 1 13887'6 Behevonto- 2:7421333 F Itápemirirá 14,530^005 GaHacica í - Queimado ; soo,; o o 315 8 0 ? Viãnna ... ' ■ 802 0 0 • : . ■■ !~w . . Wí;™,..-. Total ■ ■ . ?C;678p ftbíi Arquivo Preblico do Estado do E spH toS an to - XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 — 38 — À divida activa cobrado nos!o período importou apenas em 230-í&88^ réis, O procurador fiscal explicando a exiguidade da cobrança, faz sentir m is de uma vez a necessidade da creaçõ» de u it escrivão privativo dos feitos da fazenda. O escrivão, que serve nas causas da fazenda provincial é o tab.dlião de notas, tjüe ao mesmo tempo exerce os ofiteios de escrivão do juiza nutaicipal, cuHimemat' ;e o detnbellíão do registro das hyp-tliecas. tira não é possivcl' que o mesmo indivíduo possa acudir de prompia as': exigência» de todos estos cargos. À receita orÇad-i para o exeraiçin de 18(11- á dc Uíd-J sí) ,000 \ despnza, porem, 'leva-se á 150:7 li 3g5.8; presumia d «-se um deí—ii de M7:íi2í#>518. for esta simples cnuueiaçào comprehepdeis a necessidade ou d ■ íiábililíirdès a administração co n o pro lu '-br-to do cr f íatés da reú lí, íki dj reduzirdes’a despeza, meio este acojiselbado pola prudência, e evidente k simples inspecçàu .tias d.iffe- reirtcs verbas. v J: ■ 1 ■ " — ' ' ■ ■ . ■' :í" " ■ Kot» quo grande soturna ib>s draheiros públicos se despende no emprego de nm pes-oal excessivo cúm pVqutso de serviços importantes. Para uma província :■ pequena e tao biilda d»* recurso-, ã redueçao do pessoal nãdaó è reçimuoendada - pela economia, cotiio importa pela .falta de habilitações «acessarias para o bora desempenho dos rargosi ' ; ‘ 1 ; A vossa 'prudência, zelo e patriotismo incombo distinguir neste ramo de serviço qtiaes as despesas supérfluas,quaos as'esirhte manta nessassarias o cortar porias priinmras, conservando as seg i-n-jas. sem esta medida, que á meo ver é a de : m»is subida.importância;; a presidência nada vos podm-á prapor em relação aos imdhoramonUn; mate ri aos, de que tanto •- araceu vossa pruviivtia. i - i Ansi.v G>:k \i.. ■' " ■' ■ ■ Tendo sido aposentada por decreto de ó de agosto o inspaelor da íliesouraria dé fazenda desta previni ia, 'Jcão ívianofd da Foueeo» e-Vilva foi nomoadópãra , este cargo o 2.° escr pl ura ido da de Ss-.. ivdro do H.o Grau do do Sul, fray mundo Tavares da Silva,.qu» ainda bso .ipresanlou-sc. 1 /' ' Serve inliriuimciiíe «çheíe árnarsHonse Francisco Pinte Homénide Azevedo foi —oméado 1;u escriptu- rario p»r de ira to de 2ti d^agosto; mas-muda so a -ít o vagai, pala iaUa de pos- soa! habilitado, deu> logaies da 2.° oscripturano, dous de praticante' e dons de amanuense. : 1 ' 7—' : - A receita geral nos trez uHimos exeroicoste; a segírnte: ’ : l&fiít*-'l8Ul : 87:587$ 150 ' Í861-I802 '7d:i83pTi 11802-1888 78:W).vS,sn .0 termo medio deite trienieo importa em 80:750^8^7, comprehendendo-s® os diversos deposites,.- inclusive o empréstimo do cofre dos «rphíos; e em 64:t,G2§2í1, ec.nsíde/anibese sò e unicamente a remia propriamente düa,,á 3iaf"sodistribuo (ÍL-sta forma.' ■ : - ' ’ : - 1880—-186f «8:2?iOS313 1861-1802 63:;í)-ig:ié6 180’- !b<>;{ :6Ç;iG3^05A Ha na província 3 me:-as de rendas e 7 co!lecionas. Durante o ultimo--deceinlic a cee: He foi o que -mostra o seguinte quadro. £’ de notar nm decrecimento da .randa nos uitimos üüiíos.. V : ■ . . Seckiítarja no Governo—: ■ Esta repartição continua reonlániveotô sob a dirse-ç'» íétivs do seo zeloso, is" gebiguni-e ç leal chefe, oSc. -Vnt-raió llodrignes de áoúza tínmdãu.,.- : Saõ estes, senhores mambios da. asseinhi.-K legi-hítív,! 03 poueos esciacectaiett- ' tos, q ie posso ad.iisioúar nó -impor.tanto r—i—ci—<— meo antecessor. ; . : riode urso da s-'ss"io oulrpo vos forem odotor, para qne. possaos desempenhara bonfttia missão.j-í-qúj voi .(iiicjrimgou a Frovíacsa em10nlrareis em raijn .m»ào proti. uo n.u.h» sincero e deiteado auxiliar. . : • . , Falauto do governa do líapirilo Sapío 30 da Setembro de 1833, '.7"." . ■■■-.. Àndré Augusto âe Padua FUtiry, Arquivo Preblico do Estado do EspEítoSf^r^to- XDOD- Bii^llc^tÉ^c^aDii^ití^l- ll^í^í? Relatorio - Andr0 Augusto de Padua Fleury - Assembl0a Legislativa - 1864 Arquivo Preblico do Estado do E sp flto S a n to - XDOD- Bit^llí^t^c^aDii^it^l- 1999
 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.